Padre Firmo com outra cara

0
880

Powered by WP Bannerize

O que era para ser um momento de alegria transformou-se em decepção para a família e os admiradores do padre Firmo Pinto Duarte, que se espantaram ao ver a escultura feita em homenagem a uma das figuras religiosas mais importantes de Mato Grosso.

O busto foi inaugurado na manhã do dia 24 de novembro, na Praça da Saúde, que também leva seu nome. O local, como conta o historiador Suelme Fernandes, era um dos favoritos do padre Firmo, onde ele realizava caminhadas diárias e se sentava para conversar com fiéis.

Apesar de ter morrido em 2005, aos 77 anos, o pároco deixou um legado para a comunidade católica da Capital. Dedicado em sua caminhada pela fé, foi ele quem iniciou o evento “Vinde Vede” e foi o pioneiro da famosa missa das quartas-feiras realizada no ginásio do Colégio Salesiano São Gonçalo.

Padre Firmo já chegou a reunir no estádio Governador José Fragelli, o Verdão, mais de 30 mil pessoas em um dia de retiro do “Vinde Vede”. Com uma multidão de fiéis, Suelme relata que nas missas que comandava às quartas era necessário utilizar um telão do lado de fora.

A ideia da homenagem partiu do vereador Mário Nadaf, que resolveu sugerir um projeto para a criação de uma escultura com o rosto do padre para eternizá-lo na memória dos cuiabanos. O projeto foi aprovado na Câmara de Cuiabá e teve o apoio do atual coordenador do Colégio São Gonçalo, Padre Hermenegildo Conceição Silva.

 

No entanto, relatam os presentes na cerimônia de inauguração que a cultura foi um verdadeiro presente de grego para os admiradores do padre Firmo. Creusa Firmo de Joseti, parente e por muitos anos ministra de eucaristia ao lado do pároco, chamou a tentativa de homenagem de “verdadeira catástrofe”.

“O dia que houve a inauguração eu não estava presente, mas tinha parte da família ali. Foi um vexame total, porque o busto não tem nada a ver com o padre”, lamenta.

“Essa caricatura feia, bizarra foi constrangedora na hora da inauguração, porque todos que estavam ali ficaram chocados, não sabiam se batiam palmas ou se ficavam com vergonha”, acrescenta Suelme. “A revolta é grande porque mexeram com algo muito caro aos cuiabanos”.

O sentimento de revolta foi compartilhado por muitos que puderam ver a escultura de perto. Com isso, a família e parte da comunidade católica de Cuiabá se uniram para iniciar um movimento pedindo a remoção ou a confecção de uma nova  obra.

Suelme conta que ninguém sabe quem foi o artista responsável pela execução do busto, porém diz ter certeza que não foi um profissional especializado neste tipo de escultura. Segundo ele, os traços desleixados e, até certo ponto, infantis, em nada correspondem com a proposta apresentada para homenagear o padre Firmo.

Após toda a polêmica em relação ao busto, o vereador Nadaf se pronunciou por meio da assessoria alegando que seu papel foi apenas como legislador para homenagear os serviços prestados pelo pároco. Além disso, o político pontuou a escultura não foi tema de projeto de lei de sua autoria.

Foi especulado que o busto havia sido uma doação do Colégio São Gonçalo, porém o vereador negou a informação e disse desconhecer quem foi a pessoa responsável por contratar o autor da obra.

Este segue sendo ainda um mistério para todos. E preocupa aos fiéis e admiradores do Padre Firmo que a obra continue daquele jeito. A comunidade católica que apoia o movimento espera uma resposta e aguarda que a imagem possa ser recordada com respeito e dignidade.

“É um completo desleixo, uma homenagem macabra, não acho uma homenagem digna”, afirma Suelme.

O Padre Firmo nasceu em Cáceres, mas viveu parte de sua infância e adolescência na região do Campo de Ourique, onde hoje está localizado o Centro Geodésico da América do Sul.

Tornou-se sacerdote em 08 de dezembro de 1955, sendo o último padre ordenado por Dom Aquino Corrêa. Entre os anos de 1974 e 1983, padre Firmo foi diretor da Comunidade Salesiana em Barra do Garças. Neste período implementou um projeto primado por uma nova e dinâmica pedagogia especialmente voltada para as comunidades indígenas missionadas em Sangradouro, Merure e São Marcos.

Com o tempo, assumiu a direção espiritual do movimento católico intitulado “Renovação Carismática Católica”, junto à Arquidiocese de Cuiabá, assim como também dirigiu espiritualmente o movimento de “Cursilhos de Cristandade de Cuiabá” e atuou também como diretor da Missão Salesiana em Mato Grosso.

Foi membro da Academia Mato-grossense de Letras (AML), onde tomou posse em 08 de dezembro de 1997. Escreveu também o livro “Mulher – a Intercessora”, dentre outros textos inéditos.

Em 2014 ganhou um documentário de sua biografia intitulado “Padre Firmo – Uma História de Fé”. Além de parte de sua história, o longa conta com cenas da famosa missa das quartas-feiras no ginásio do Colégio Salesiano São Gonçalo, com depoimentos de milagres, além de outros momentos marcantes da vida do padre.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta