Botelho a bola da vez e quer apoio

0
203

Powered by WP Bannerize

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado estadual Eduardo Botelho (União Brasil), demonstrou otimismo com sua campanha para prefeito nas eleições municipalistas do ano que vem em Cuiabá. O deputado afirmou que se vê no segundo turno e garantiu que mesmo fora do União Brasil, quer o apoio do governador Mauro Mendes (União Brasil).

Em entrevista à imprensa nesta segunda-feira (24), o deputado deu a entender que está de saída da agremiação regida por Mauro, mas que a amizade com o governador prevalecerá, principalmente se ele for eleito.

“Mesmo acontecendo se eu sair, a amizade será a mesma. Continuarei na base, e vou precisar dele para fazermos muito por Cuiabá. Ele trabalhará comigo fazendo convênios enquanto prefeito. Nós somos amigos, sempre conversarmos. Saindo para outro partido, não serei inimigo dele. Posso ser adversário dele no primeiro turno, no segundo eu tenho certeza que ele vai estar comigo”, disse Eduardo Botelho.

Botelho ainda revelou que acredita em uma releitura de conceitos dentro do União Brasil para que ele possa vir ser o candidato da sigla, e evitar sua debandada para o Partido Socialista Democrático (PSD). Porém, contou que se fosse por vontade própria, não escolheria sair da agremiação.

“Eu ainda espero que eles revejam isso, mas é uma questão pessoal. Eu não poderei interferir, minha vontade não é sair do grupo. Se for necessário lá na frente poderemos estar juntos novamente”, finalizou o presidente da Assembleia Legislativa.

A insatisfação de Botelho dentro do União iniciou ainda no primeiro semestre deste ano, quando as articulações para a campanha eleitoral visando o Palácio Alencastro foram iniciadas. Internamente no partido, algumas lideranças apoiavam o nome do secretário-chefe da Casa Civil, Fábio Garcia, para ser o nome que representará o “44” nas urnas.

Sendo assim, triste por estar no escanteio, Botelho deu início a uma série de conversas com diversos partidos, vindo a se aproximar do PSD, regido pelo ministro Carlos Fávaro.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta